Notícias

Espírito Santo conquista 1° lugar do Brasil no Ideb

access_time 18 de Setembro de 2020 • 10:49

Você já deve ter visto no noticiário que o Espírito Santo alcançou a melhor avaliação do Ensino Médio da Rede Pública do País no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos últimos dez anos. E que na evolução total, em todo o Estado (redes municipal, estadual e privada) o Ideb alcançou nota 4,8.

 

Também foi divulgado em junho que entre as 50 escolas públicas de todo o país com as melhores notas no Enem 2019, nove são campi do Ifes: Vila Velha, Cachoeiro de Itapemirim, Colatina, Vitória, Guarapari, Aracruz, Cariacica, Serra e São Mateus.

 

O destaque nacional é importante para reiterar o trabalho do governo e iniciativa privada para a melhoria da qualidade do ensino com ênfase na batalha pela inclusão, diminuição da evasão e a melhoria da infraestrutura.

 

Mas o que isso significa para nós, capixabas? Muuuito!

 

Essa evolução gradativa mostrada anualmente pelo Ideb ratifica a premissa de que só a educação nos leva ao progresso, ao desenvolvimento econômico e do capital humano. É através da educação que reduzimos as desigualdades, a violência, e geramos oportunidades.

 

É sabido que as pessoas representam a força motriz da economia e a produtividade é o motor do desenvolvimento. Quando há educação e qualificação, naturalmente aumenta-se o potencial de crescimento na economia. Outro aspecto a ser considerado é que um país, Estado ou município mais educado gasta menos com saúde pública e tem melhores níveis de segurança. Direta ou indiretamente, maior escolaridade faz com que uma economia funcione com mais eficiência.

 

O Espírito Santo está no caminho certo, mas é preciso todo o empenho e investimento na educação, desde a primeira infância.

 

Infelizmente o Brasil sofre com estagnação na produtividade por causa, sobretudo, da QUALIDADE DO ENSINO. Enquanto não houver bases estabelecidas para uma educação púbica de qualidade, que alcance o maior número de pessoas, estaremos presos a um ciclo vicioso de desigualdades e problemas sociais.




chat